e sorrindo ela entendeu

Tem uma música do rubel em que ele, citando vinícius,  diz: “e sorrindo ela entendeu que a vida só se dá pra quem se deu”. O vínicius diz “porque a vida só se dá pra quem se deu, pra quem amou, pra quem chorou pra quem sofreu”. Eu sempre gostei muito dessa frase, dessa ideia em si: se dar para a vida. Hoje dá pra traduzir com se entregar, se jogar, vamo dale. Vamo dale. Dale na vida e deixa sentir, deixa ver, deixa acontecer.

Outro dia eu estava conversando com um amigo sobre quantos por cento do nosso tempo deveria ser dedicado às outras pessoas. Eu disse quarenta, ele achou muito. Fizemos cálculos sobre as horas do dia. Tudo uma bobagem porque a vida não é exata. Nem em mascarados nem na do vinícius que não sei o nome agora. Mas o que é se dedicar aos outros? Quem são os outros? O que é dedicar? O que é tempo? Tempo espaço na agenda ou tempo período que passa e a gente nem vê. Essa coisa poderosa que está em tudo: “tô sem tempo essa semana, na outra a gente se vê”, outra essa que nunca vai chegar. “com o tempo as coisas melhoram”, que coisas? Umas pioram, mas nunca as mesmas que já não iam bem.

Não estou sendo pessimista. Nadinha. Tenho aprendido a amar o tempo e a valorizar o meu. Sempre dediquei ele muito aos outros, hoje estou aprendendo a achar o meio a meio disso tudo. A que outros eu quero dedicar meu tempo. Tempo é amor, não dinheiro. Quem merece meu amor? Isso ainda não faz sentido nenhum pra mim.

Se vinícius e rubel dizem que a vida só se dá pra quem se deu, criolo diz que “se  vida é um jogo, então, vamos ganhar“. Que jogo? Como joga? Como faz? Mas isso aqui não é uma competição. Não pra mim. Ok sei que não é disso que o criolo falava, o jogo a que ele se refere é esse mesmo que a gente precisa ganhar se dedicando um ao outro pra sermos mais fortes e caga-lhe a pau as pessoas que não tão nem aí pra mais ninguém. Vamo dale. “As pessoas não são más, elas só estão perdidas”, também diz o criolo. Ainda há tempo.

Mas é louco como a gente não sabe lidar, todo mundo correndo atrás da vida. Uns se jogando, uns só jogando mesmo. E lava roupa e limpa a casa – só onde a procissão passa – e responde no whats e estuda – mas não dá conta – e se incomoda com o boy e dá força pra amiga e ganha força da amiga e trabalha e trabalha mais e vai pra aula e dá role de bici e reclama da chuva e a roupa não seca e come e tem preguiça de cozinhar e quer ficar de boas sozinha e tudo que não quer é ficar sozinha e haja força e sai e ama os gatos e ai que ansiedade e que droga e eita não respodi no whats e vamo se ver e ata não vai dar tempo.

Cansa.

A que vale dedicar o tempo? E o amor? E aquela energia que a gente gasta, hein? E aquelas palavras todas que a gente engoliu – pra não magoar sendo rude, pra não assustar com (parecer) amar demais? A vida só se dá pra quem se deu. Mas nessas a gente ama, chora, sofre e ainda acrescento ri, se diverte e fica ansiosa. Vamo dale. Ainda há tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *